Escritório de arquitetura projeta casa inspirada na natureza

São apenas 27 metros quadrados, mas a ÁPH80, nome dado ao modelo residencial alternativo e transportável, criado por um escritório de Madri, busca reduzir o impacto ambiental ao máximo. Construída de seis a oito semanas, a casa leva materiais de custo baixo e viável e que sejam fabricados de maneira ecológica. Também são implementadas soluções energéticas eficientes como reuno de água pluvial e placas solares.

Via Ciclo Vivo
Imagem:
Juan Baraja/Divulgação

Grupo Pro Terra aposta na construção de casas verde e mais sustentáveis no Uruguai

É com matéria-prima vinda da natureza que o Uruguai tem construído continuamente casas mais sustentáveis. Mesmo que a estrutura ainda seja de concreto, os revestimentos dessas residências são naturais como palha, terra, madeira, pedra e cana, garantindo comodidade e isolamento térmico.

O projeto é realizado pelo grupo Pro Terra. Segundo o grupo, existem mais de 20 combinações de materiais sustentáveis que podem ser implantados de acordo com as variações de cada local.

As casas, costumam ser mais baratas que as tradicionais. Uma construção de 50 metros quadrados pode ser feita com cerca de US$ 5 mil dólares (cerca de R$ 11 mil reais).

Fonte: Catraca Livre 
Imagem: Reprodução

Escultura reciclável feita com papelão de favos de mel

A cidade de Anyang, Coreia do Sul encomendou ao arquiteto japonês Kengo Kuma uma peça de arte pública em uma floresta. O artista criou uma escultura habitável feita a partir de papel prensado com favo de mel. A plataforma fornece um refúgio temporário para as pessoas junto a natureza.

Reciclável, leve e super forte, a beleza do papelão de favo de mel reside na sua qualidade translúcida e geométrica. A porosidade do materia permite a passagem de luz e das sombras através e proporciona um ambiente natural calmante.

Imagens: Reprodução

Vídeo mostra a transformação lenta de sementes em flores

Os processos de mudanças da natureza raramente podem ser vistos a olho nu, mas com os equipamentos tecnológicos que temos hoje é possível registrar o que os olhos não conseguem.

Neste vídeo, o cineasta Daniel Csobot une fotografias macro de sementes sendo plantadas, germinando e depois explodindo em lindas flores. O projeto foi fotografado entre fevereiro e junho deste ano. Veja em poucos segundos o que a natureza cria em meses.

Macro Timelapse from Daniel Csobot on Vimeo.

Fonte: Hypeness

 

Peças de relógios antigos viram esculturas de pessoas e animais

Sempre pensando em criar obras com o conceito de reciclagem e upcycling, a norte-americana Susan Beatrice fez uma série de esculturas de animais e figuras humanas com peças de relógios antigos. Todos os trabalhos da artista têm conexão com o meio ambiente e celebram a natureza.

[imagebrowser id=91]

Fonte: Colossal

Acessórios delicados feitos de papel

A delicadeza das jóias de Ana Hagopian vem do papel – matéria-prima base de suas produções – e da técnica de corte e colagem que ela utiliza em suas peças. Forma e volume são as duas referências para falar de seu trabalho. Mas a sua inspiração vem da natureza e de suas criações infinitas, cores ilimitadas e texturas surpreendentes. Já o uso do papel  tem raiz na filosofia da arte povera, que restaura o valor da ideia, intuição, do pensamento e do indivíduo.

Veja imagens do trabalho da artista na galeria abaixo:

[imagebrowser id=93]

Lixo abandonado na praia vira escultura que discute relação do homem com a natureza

Já faz alguns anos que Jeremy Underwood usa a fotografia fine art para discutir a relação entre o homem e o meio ambiente. Em séries como Chernobyl e Nature’s Scars, ele retratou as reações da natureza depois de sofrer ações destrutivas do ser humano.

Em Human Debris (Detritos Humanos), o contexto não é diferente, Jeremy percorreu as praias de Houston, nos Estados Unidos, e recolheu os detritos que eram deixados na água do mar ou na areia. Com este material, ele construiu esculturas e as fotografou no seu “habitat natural”

A série, com clara referência a artistas como Andy Goldsworthy e Richard Long oferece uma poderosa crítica ao que o artista chama de “perversão da poluição” gerada pelo consumo excessivo.

[imagebrowser id=88]

Fonte: Inhabitat

“A Forest Year” mostra a transformação da natureza por um ano

O fotógrafo Samuel Orr passou 15 meses tirando fotos das transformações da natureza através de uma janela de sua casa em Bloomington, nos Estados Unidos. Em seguida, compilou o material com cerca de 40.000 fotografias e fez este incrível vídeo com as mudanças que o meio ambiente passa ao longo deste período.

Segundo o site Petapixel, a câmera foi criada para tirar uma foto entre uma vez a cada 10 segundos e uma vez a cada 10 minutos em determinados momentos-chave do ano (queda de neve, primavera, outono cores). Durante a maior parte do tempo, a câmera foi desligada.

Assista:

Imagem: Vídeo e fotografia de Samuel Orr

Amplificador feito de bambu dispensa uso de energia elétrica

Dois moradores de uma comunidade nas Filipinas criaram um amplificador de música com pensamento sustentável. Projetado para iPhones, e outros smartphones como o Samsung Galaxy S3, o Loudbasstard é feito de bambu e não precisa de energia elétrica para funcionar.

Segundos os inventores da peça, o Loudbasstard não foi criado para substituir os alto-falantes ou o sistema de som de sua casa, mas para fornecer um amplificador de som pessoal, que é orgânico com um lindo design e que respeita o meio ambiente.

Cada peça é cortada e tingida à mão por artesãos locais de Cebu. O grupo utiliza técnicas tradicionais de corte e modelagem do bambu para compor o produto. Ao comprar o amplificador, você ajuda a natureza e provém um crescimento econômico aos moradores da região.