Começa hoje showroom com linha de produtos do Projeto Contem

“Uma Moda que inspira, encanta, mas que, acima de tudo, se preocupa com as gerações futuras e transforma.” Esta é a proposta do núcleo Moda do Projeto CONTEM® – apresentar novos formatos de atuação e possibilidades a serem exploradas para uma moda ética, justa e consciente.

O Projeto CONTEM® é uma iniciativa de incentivo ao consumo consciente e divulgação de práticas sustentáveis, visando colaborar com uma economia crescente e saudável que gera oportunidade e mantém os recursos naturais preservados para futuras gerações.

Nossa linha de produtos foi desenvolvida com tecidos sustentáveis criados a partir do reaproveitamento de sobras de material da indústria têxtil e garrafas PET. A linha conta com carteiras, bolsas, mochilas, nécessaires e capas para Tablet e pequenos computadores. As sobras de materiais gerados na confecção de nossa linha de produtos são encaminhadas para a indústria para serem transformados em novos tecidos.

Venha nos visitar.


Mima Showroom:
Rua Oscar Freire 677 Sala 2 – 2º Andar
Agende sua visita: 55 11 2768-2422

 

Empresa produz acessórios com algodão colorido ecológico

Produzidos artesanalmente em um casarão centenário no Centro Histórico de João Pessoa, na Paraíba, os sapatos da marca Comparoni privilegiam materiais como a renda, o couro de peixe e o algodão colorido ecológico.

Sem fazer o uso de aditivos ou corantes, o algodão é certificado pela Embrapa e faz parte do processo de desenvolvimento de sementes da planta geneticamente modificadas. Hoje, o algodão pode ser encontrado em quatro cores – verde, marrom, off white e rubi. Trata-se de um produto ecológico que vem movimentando a indústria têxtil da Paraíba. Como já nasce colorido, o algodão não passa pelos processos químicos e poluentes dos tingimentos, sem o lançamento de substâncias tóxicas no meio ambiente e evitando o desperdício de água.

Com foco na linha de sandálias e mules, a empresa valoriza o ciclo produtivo local. Todas as etapas de fabricação das peças – da matéria-prima a mão-de-obra – são pensadas para dar uma chance ao pequeno produtor e para promover o artesanato local. Por exemplo, a renda é produzida por uma associação de mulheres no Cariri e tingida naturalmente com casca de caju ou cebola.

Imagens: Divulgação

 

Flor de Lótus recupera presidiários através da moda

Desde pequena criando peças de tricô, a mineira Raquell Guimarães, dona da marca Doisélles, achou uma maneira de fazer moda sustentável. Para isso, ela se baseou em alguns preceitos como criar peças que tenham conceitos além das tendências, que respeitem o descarte e que tragam elementos culturais e emocionais nas roupas.

Mas o grande objetivo de Raquell foi a criação do grupo Flor de Lótus. A base do projeto é ensinar um ofício aos presidiários de uma penitenciária de Juiz de Fora e garantir trabalho a eles dentro (e fora) da cadeia. A história virou documentário e estreia no final de maio. Confira um teaser do projeto:

Designer contemporâneo lança cadeira ecológica

A obra multidisciplinar do francês Philippe Starck ganha mais um símbolo de sua criatividade, e dessa vez o designer apresenta uma peça com olhar sustentável. Construída a partir de 90% de resíduos industriais reciclados, a Broom Chair também utiliza madeira descartada em seu design.

O projeto é inovador, belo e também pode ser reciclado no fim da sua vida. A mistura dos elementos naturais e sintéticos em um composto plástico cria um desperdício-zero, e ainda, material de baixo custo a partir do qual a cadeira é fabricada.

Segundo o designer esse produto representa que menos é muito mais. “Porque nós escolhemos fazer com menos – menos estilo, menos design, menos material, menos energia – e, finalmente, temos mais”, disse Phillipe durante coletiva de imprensa na Semana de Design de Milão.

 

 

 

Restaurante itinerante cozinha com luz solar

Cozinhar ao ar livre utilizando apenas energia solar para elaborar os pratos é a proposta do Lapin Kulta Solar Kitchen Restaurant. Idealizado pelo designer catalão Martí Guixé e pelo chef finlandês Antto Melasniemi, o restaurante itinerante seguiu o sol pelo verão europeu e visitou uma série de cidades apresentando sua culinária solar.

Ao contrário da forma tradicional de cozinhar, o calor solar afeta o sabor e a textura dos pratos de uma forma surpreendente e positiva, produzindo uma experiência de sabor completamente diferente. Outro diferencial da cozinha-natureza é a escolha do cardápio que varia de acordo com as variações do clima.

Em um dia muito ensolarado, o menu pode ser um churrasco, já quando os dias estão mais nublados, os chefs escolhem refeições preparadas em temperaturas mais baixas ou saladas. O restaurante também testa a flexibilidade das pessoas: se chove, todos têm que se reprogramar e lidar com as variáveis da natureza.

Dá uma olhadinha na vibe das refeições ao ar livre:

Imagens: divulgação

Brinquedo polonês usa papelão reciclável para criar cidades

Criado pelo designer polonês Robert Czaijka, o Papierowe Miasto é um brinquedo com a mesma proposta do Lego: construir cidades. A diferença está na no material – ao invés de plástico é feito com papelão reciclado.

Disponível em três versões de cores, o jogo foi inspirado na vida suburbana da capital polonesa. Cada opção inclui uma variedade de itens como edifícios, veículos, árvores, lojas e pessoas. Todas as peças são impressas em diferentes cores, padrões e detalhes minuciosos como a colocação de um motorista dirigindo o ônibus.

A Cidade de Papel 1 é vermelha e azul e representa a periferia. A Cidade de Papel 2 apresenta o centro da cidade com elementos como estação de ônibus, restaurante, playground, terraço, loja de departamentos, monumento e mercado. Já a Cidade de Papel 3 tem coloração rosa e roxo e é extremamente feminina.

Imagens: Divulgação

Pic-Nic promove trocas de sementes, mudas e ideias ecológicas

Nadia Cozzi, consultora de alimentos e blogueira do Coletivo Verde, foi a um encontro no parque focado no aprendizado sustentável.

O Parque da Luz em São Paulo, o mais antigo jardim da cidade, recebeu último 22 de abril, um pessoal bem especial que organiza já pelo 2º ano um piquenique de troca de sementes e mudas que saúdam a nova estação que chega.

Desta vez eram as sementes de outono e fui recebida pela simpatia da Juliana que explicou que a cada troca de estação eles organizam esse evento. Trata-se de uma rede de amigos interessados em cuidar, cultivar e semear mais verde na vida e nas cidades.

Estavam felizes porque desta vez somavam com o pessoal do movimento dos Hortelões Urbanos, um grupo que nasceu no HUB Escola de Inverno em 2011 e tem cultivado sabedorias e trocado informações no grupo do Facebook. Finalmente muitos iriam se conhecer pessoalmente.

Chama-se Pic-Nic, porque é para levar amigos e família e também nossas receitinhas especiais para experimentar e trocar. A preocupação com o Meio Ambiente está nas recomendações para participar do encontro: Tragam canecas, bonés, repelente natural, banquinhos portáteis, podem ir de bicicleta ou metrô (ao lado da estação da Luz e Tiradentes), alegria e carinho com a Natureza e os participantes, cuidado com nosso próprio resíduo e cadernetas para anotar as informações e aprendizados trocados. Também adoramos quem opta por vir de bicicleta ou a pé!

Participe da próxima edição

As próximas edições já estão marcadas para 22 de julho de 2012, saudando o inverno e 23 de setembro, quando chega a primavera. Os organizadores são Árvores Vivas (Ju Árvore Cor-Amores), Viveiro Arborizando (Daniela Pastana Cuevas) e Hortelões Urbanos (Tatiana Achcar e Claudia Visoni).

Post publicado originalmente no site Coletivo Verde

Marca de roupa infantil usa tecido sustentável feito com leite

Macacões, babadores, mantas e outros produtos relacionados ao enxoval infantil ganharam uma nova fibra macia e ecologicamente correta. Utilizado pela marca norte-americana Miniature Milk, o tecido é composto por 20% de caseína, fibra extraída do leite, e 80% de algodão orgânico.

A caseína é formada por 17 aminoácidos com pH neutro, ou seja,  além de ser sustentável, tem propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas. Estas qualidades tornam o tecido perfeito pra manter a pele sensível da criança quente e protegida.

A linha de leite em miniatura inclui estilos de impressão em azul e roxo com listras, branco e com manchas de vaquinhas. A linha também possui um cobertor, com a história do tecido e os seus benefícios impressos sobre ele.

Imagens: Divulgação

 

 

 

Telhado de casa ecológica vira jardim e sala de jantar

Encontrar novas maneiras de construir residências e utilizar adequadamente espaços geralmente desperdiçados para criar casas eco-sustentáveis. Este é o projeto Sustainable Eco-House construído em Paris pelo escritório de arquitetura francês Djuric Tardio.

A casa de dois andares, que foi construída com cedro finlandês, tem o telhado em formato pergolado, com fendas abertas que propiciam o cultivo de frutas e ervas e o uso do espaço como sala de jantar e deck – antes destinado apenas a função de sótão.

Paredes moveis funcionam como portas de correr e se adaptam às necessidades dos moradores. O layout também foi concebido pra manter a flexibilidade da vida cotidiana como as mudanças das estações do ano. Os moradores podem escolher a configuração da casa – como, por exemplo, o local de entrada da luz solar – de acordo com as variações de temperatura e economizar no uso de aquecedor ou arcondicionado.

A casa é totalmente pré-fabricada em uma oficina e é montada no local em apenas duas semanas. O sistema de painéis de madeira finlandesa vem de cooperativas geridas de forma sustentável por pequenos proprietários.

Pra finalizar, a ventilação das salas é regulada por meio das aberturas das janelas. A reutilização da água da chuva é destinada ao jardim e permite que os proprietários cultivem plantas sem desperdiçar água.

 Imagem: Divulgação

 

 

 

 

Aprenda como utilizar restos de frutas que não podem ir para compostagem

O site eCycle ensina duas receitas para você reaproveitar cascas e restos de frutas ácidas que não podem ser destinadas para adubo.

Já vimos que composteiras não ficam legais com cascas de frutas cítricas. Isso porque esses resíduos são responsáveis por desequilibrar o PH da mistura de terra e prejudicar as minhocas. Com isso na cabeça, nossa equipe buscou algumas saídas para aproveitar esses restos e contou com a ajuda de um de nossos parceiros, Nadia Cozzi, especialista em bioculinária que nos ofereceu essas duas ótimas alternativas para incrementar o livro de receitas.

Geleia da casca do abacaxi

Se não podemos colocar a casca do abacaxi no composto, por que não fazermos uma geleia? É muito fácil de fazer e pode ser uma excelente novidade no lanche da tarde.

Para preparar, basta deixar a casca do abacaxi de molho na água por 12 horas. Em seguida, bata essa casca no liquidificador e coloque o sumo em uma panela. Adicione açúcar e mexa até engrossar. Depois é só resfriar e consumir.

Lasquinhas de laranja

Lasquinhas açucaradas de laranja também são uma delícia. A mesma receita funciona com limão, confira:

- Corte a casca da laranja em tirinhas e coloque em uma tigela. Cubra as lascas com água e troque o molho, constantemente, por quatro dias. Com o calor, é mais aconselhável deixar o recipiente na geladeira para conservar o alimento e tampado para não pegar cheiro cítrico nos outros alimentos.

- No quarto dia, escorra a água e adicione as lascas na panela com açúcar. A proporção deve ser de duas xícaras de lascas para uma de açúcar. Não é preciso adicionar água porque a própria casca solta líquido.

- Mexa bastante até secar as lasquinhas; retire a mistura do fogo e conserve em um pote fechado.

As lasquinhas de laranja são excelentes com café e chá. Experimente!

Post publicado originalmente no eCycle

Imagem: Nina Mathews