SP e Minas Gerais ganham bicicletários de aço reciclável

Com o tema mobilidade e bicicleta cada vez mais em alta nas grandes cidades brasileiras, a Crystal em parceria com a agência Aktuell desenvolveram um modelo de bicicletário feito de aço reciclável que comporta de cinco a oito bikes e lembra uma garrafa de água.

Os objetivos dessa iniciativa são incentivar o uso do meio de transporte alternativo e também proporcionar mais praticidade e conforto aos ciclistas.

À princípio, os locais para guardar as bicis estão espalhados por diversas faculdades de São Paulo e Minas Gerais. Em breve, a ação será expandida para academias, lojas de conveniência, super e hipermercados dos dois estados.

Confira abaixo os primeiros locais onde estão os bicicletários:

SÃO PAULO:

Escola Panamericana | Unidade Groelândia
Endereço: R. Groelândia, 77, Jardim Paulista, São Paulo

Escola Panamericana | Unidade Angélica
Endereço: Av. Angélica, 1900, Consolação, São Paulo

ESPM
Endereço: R. Dr. Álvaro Alvim, 123, Vila Mariana, São Paulo

Tag and Juice
Endereço: Endereço: Rua Gonçalo Afonso, 99, Pinheiros, São Paulo

SENAC Santo Amaro
Endereço: Av. Engenheiro Eusébio Stevaux, 823 – Santo Amaro, São Paulo

BELO HORIZONTE:

FUMEC
Endereço: R. Cobre, 200 – Cruzeiro Belo Horizonte – MG, 30310-190

Fonte: Ciclo Vivo
Imagem: Divulgação

Repelente natural

Se livrar dos pernilongos de uma maneira natural pode ser uma boa alternativa aos produtos industrializados que prejudicam a sua saúde e o meio ambiente. Anotem a  receitinha:

Ingredientes

4 Gotas de essência de citronela
4 Gotas de essência de limão
4 Gotas de essência e alecrim
4 Gotas de essência de eucalipto
4 Gotas de essência de hortelã
1/4 de xícara de óleo de amêndoa

Modo de preparar

Junte todos os ingredientes em uma tigela e misture. Coloque a mistura em um frasco tipo spray. Identifique a embalagem sempre com um adesivo.

Fonte: Planeta10
Imagem:  Marcos Teixeira de Freitas

Ikea mostra coleção com peças feitas de bambu e outros materiais ecológicos

Materiais renováveis e que causam menos impacto ao meio ambiente têm sido uma promessa ao desenvolvimento do design consciente. Por isso, muitas marcas têm criado coleções baseadas em pesquisas de novas matérias-primas e têm utilizado novos recursos em suas peças.

Já há um tempo, a europeia IKEA, loja de mobiliário e utensílios para casa, traz em seu catálogo, produtos com pegada sustentável. Neste ano, além de uma série de artigos feitos de bambu, de uma mistura de plástico e madeira, entre outros conceitos ecológicos, a marca quer aproximar o público dessas transformações.

Um vídeo explicativo conta um pouco sobre alguns dos materiais usados pela marca e mostra que os resultados são satisfatórios. A

IKEA é um exemplo de que é possível ter um design contemporâneo e ecofriendly com preços baixos. Assista e conheça mais sobre o projeto:

Imagem: Divulgação

Jessica Alba lança marca de artigos ecofriendly para crianças

Envolvida com diversas causas ambientais e humanitárias, a atriz Jessica Alba se juntou ao CEO da ONG Healthy Child Healthy World para lançar a The Honest Company, marca de produtos infantis compromissada com a saúde das crianças e com a preservação do meio ambiente.

Os artigos de design funcional e multicultural são feitos com material de indústrias certificadas que primam pela qualidade e garantem a durabilidade dos produtos. Mamadeiras, fraldas, xampus, sabão líquido, entre outros, foram criados para inspirar novas soluções, reduzir o impacto coletivo e não causar nenhum dano desnecessário ao ecossistema.

Além disso, proteger os recursos naturais, minimizar os resíduos, maximizar a utilização e reutilização e diminuir o preço para o consumidor estão na base de princípios da Honest. Para alcançar as metas, o pensamento ecofriendly começa nas peças, passa pela produção – todo o material do escritório é reciclável – e vai até a embalagem, que é 100% renovável.

Na pegada da sustentabilidade, a marca faz parcerias de caridade – atualmente doam fraldas pelo site Baby2Baby. Os funcionários também participam da rede ecológica e a marca cria projetos sociais que melhoram a vida também de seus funcionários. Um exemplo a seguir.

Imagem: Divulgação

Marca cria relógios feitos de madeira recuperada

A empresa WeWood uniu a paixão pelos relógios e pelo meio ambiente para criar os acessórios com madeira recuperada.

O processo de fabricação evita o uso de metais e ainda reaproveita o material descartado. Além disso, a marca desde o início se compromete a plantar uma árvore para cada relógio comprado. A iniciativa é realizada com o apoio da American Forests, uma organização sem fins lucrativos de conservação de árvores e florestas.

Ele não é muito resistente à água, “mas você pode considerá-lo à prova de respingos”, afirma a empresa em seu site, em tom de brincadeira.  A madeira molhada pode prejudicar algumas funções do relógio, mas isso não quer dizer que ele estragará facilmente. A WeWood também afirma que a bateria pode ser substituída em qualquer loja, quando necessário.

O fecho dos relógios é feito com metal e a marca faz questão de deixar isso claro em seu site, principalmente, para alertar os clientes alérgicos a este material. Como os produtos são feitos com 100% de madeira natural, o consumidor também precisa se atentar a qualquer tipo de alergia que o uso do produto possa causar.

Com informações do Ciclo Vivo
Imagem: WeWood/Divulgação

Duas marcas de mobiliário investem em móveis feitos de papelão

De gramatura espessa e reciclável, o papelão é um material resistente e tem sido usado na criação de um mobiliário sustentável e alternativo. Na tendência, duas marcas brasileiras apostam no uso e criam peças com design inovador a preços acessíveis que podem ser facilmente carregadas e montadas em casa.

No mercado há quatro anos, a 100t foi a pioneira em móveis e acessórios no Brasil. Com cerca de 20 produtos em seu portfólio com preços que variam de R$ 10, um revisteiro, a R$ 190, uma mesa, a marca propõe também a personalização dos objetos – você pode escolher a impressão ou desenho de sua preferência.

Já a Cartone surgiu em 2011, em São Paulo, e sua linha de artigos inclui mesas, bancos e cadeiras para adultos e crianças feitas com matéria-prima certificada pela FSC. O design minimalista, os preços acessíveis e o cuidado artesanal com as peças são uma boa oportunidade de consumir um produto com qualidade, eficiência ambiental e beleza.

As duas marcas produzem artigos que necessitam de pouco espaço para armazenamento e apresentam baixo custo de transporte.

[imagebrowser id=10]

 Imagens: Divulgação

Mexicano cria instalação na Bahia para discutir a relação de espaço, sociedade e ecossistema

Criado pelo arquiteto mexicano Ivan Juarez e localizado na Ilha de Itaparica, a maior ilha da Bahia, o Observatório Lightweave Palm quer criar uma discussão aberta sobre novas formas de relacionar espaço com a sociedade e o ecossistema da região.

Ao tecer o folhas de palmeira para formar uma rede, Juarez dá ao observador um espaço de reflexão que redefine a relação entre paisagem e o abrigo. As mudanças da posição do sol durante todo o dia criam um emaranhado de sombras e luzes com espectros e sensações diferentes.

Além de explorar a relação entre a arte e a sua real função ao integrar arquitetura, design, escultura e instalação, Ivan montou um espaço para a reflexão, promoção, pesquisa e ação em diferentes áreas da expressão contemporânea.

[imagebrowser id=9]

Imagens: Ivan Juarez

Boom Festival 2012

É no sul de Portugal que acontece um dos eventos de música, arte e filosofia de vida mais sustentável do mundo. Convidado pela ONU, em 2010, a fazer parte do projeto United Nations Environmental and Music Stakeholder Initiative, que visa promover a consciência ambiental junto do grande público, o Boom Festival desenvolve desde 2004 projetos de forma a não contaminar a natureza e educar para a consciência ecológica.

Durante o festival, que reúne cerca de 25 mil pessoas e acontece na lua cheia de agosto, uma série de iniciativas são criadas como banheiro seco de compostagem, o tratamento das águas do festival através de biotecnologias; a utilização de energias solar e eólica; a reciclagem; a organização do espaço do Boom segundo os princípios da permacultura: e o fornecimento gratuito de kits de limpeza ao participantes (cinzeiros de bolso e sacos de lixo).

Neste ano, mais de 800 artistas – visuais, música, performances, vídeos – se uniram com um público para celebrar a criatividade em perfeita harmonia com a natureza. Conheça um pouco mais do evento no minidocumentário produzido pelo site Mistura Urbana:

Imagem: Retinafunk

Espaço cultural promove 4ª edição de evento com temática socioambiental e ecoativista

A partir de amanhã, 11 de setembro, a Matilha Cultural inicia em São Paulo o Setembro Verde – projeto que tem como objetivo abrir o diálogo para temáticas socioambientais e políticas através de uma programação multimídia gratuita, com ênfase em arte, música e cinema.

Mostra de filmes, palestras, atividades e exposições com destaque para mobilizações globais de proteção ao meio ambiente e preservação cultural fazem parte do escopo. “É uma curadoria que abre espaço para o ativismo e campanhas de mobilização, comunicando diretamente as pessoas sobre os pontos de vista que vão além da mídia e do governo sobre questões fundamentais para nossa vida hoje”, diz Tica Minami, uma das organizadoras do evento.

Um coquetel aberto ao público abre os trabalhos com a exposição “-40˚C a +40˚C. Antártida a Amazônia”, da jornalista e fotógrafa Bárbara Veiga, na galeria, e com a instalação “Ngô Meitire – Água, Valiosa Água” sobre o Xingu, na arena, a partir das 19h. No coquetel de abertura, a Matilha oferece uma degustação do suco de clorofila, uma das novidades da casa.

Confira a programação completa aqui.

Imagem: orxeira

Designer utiliza couro reaproveitado para criar bolsas modernas

Com um trabalho em cima de couro e resíduos reaproveitados das indústrias brasileiras, a artesã e designer Jacqueline Chiabay desenvolve acessórios em tramas usando as técnicas de tricô, crochê e macramê. As peças da artista são modernas e sofisticadas e o conceito de sustentabilidade está nserido em todo seu processo de trabalho.

Além do aproveitamento de resíduos, ela é idealizadora do Grupo Couro e Tramas composto por  mulheres, artesãs, donas de casa e agricultoras de Guarapari , Anchieta e Viana no Espírito Santo que trabalham em parceria com a designer.

Outro trabalho de Jacqueline é o desenvolvimento de objetos em parceria com um núcleo de produção com as detentas dentro do Presídio Feminino Capixaba.

Imagens: Divulgação